SIONISMO NA HISTÓRIA E HOJE

De forma bem simplificada, podemos dizer que Sionismo é um movimento de apoio à autodeterminação política judaica do Estado de Israel na Terra de Israel, e, especialmente, ao controle judaico de Jerusalém.
Descrevemos algumas maneiras usadas pelo povo de Deus para tomar posse da terra:
– Quando houve uma discussão entre os pastores de Ló e os de Abraão, para evitar a contenda, Abraão ofereceu a Ló sua escolha de pastagem na terra.
– Quando Sara morreu, Abraão insistiu em comprar seu local de enterro de um hitita, mesmo que tenha sido oferecido como um presente.
– Da mesma forma, Davi insistiu em comprar a eira de Araúna, um jebuseu, para fazer um sacrifício no local do atual monte do templo, o Monte Moriá, onde também Abraão se dispôs a sacrificar Isaque.
– Quando foi perguntado a Yeshuah se Ele iria naquele momento “Restaurar o Reino de Israel”, Ele apontou para outra prioridade para a nossa dispensação: O Derramamento do Espírito Santo.
Essas considerações básicas praticamente foram colocadas em prática pelo Movimento Sionista:
– Em 1917, Chaim Weizmann aceitou a promessa do Lorde britânico Balfour ao povo judeu de uma pátria no Oriente Médio, depois que Weizmann ajudou a Grã-Bretanha conseguir a vitória na I Guerra Mundial.
– Em 1948, os líderes judeus estabeleceram um estado em resposta à aprovação da ONU.
– Muitos dos primeiros judeus pioneiros compraram terras de latifundiários árabes, dos quais muitos nem moravam em Israel.
– Quando Israel retomou Jerusalém em 1967, ela não foi roubada da Palestina porque o conceito da atual Palestina Árabe mal existia na época. Pelo contrário, foi conquistada em uma guerra defensiva com a Jordânia (a Jordânia havia se unido ao Egito e à Síria para atacarem Israel).
– Israel é o único país no mundo a devolver terras conquistadas em guerras defensivas.
– Israel busca ser justo com todos os cidadãos árabes e protege especialmente os cristãos árabes.
Desta forma, podemos ver uma maneira humilde, pacífica, legal, oportuna e correta de possuir a terra.
Contudo, outras discussões são levantadas (como o uso da força, como guerras para conquistar o território bíblico e legal de Israel) – e que devemos estudar, meditar e tirar nossas próprias considerações.
Faremos isso – se o SENHOR Deus nos permitir!

Posted by

amigosdeisrael

Voluntário em Israel a serviço do povo de Deus em obediência ao Próprio.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *